Notícias

Você está aqui: Home > Notícias > TAIOBEIRAS É FINALISTA NO PRÊMIO “PREFEITO EMPREENDEDOR”
TAIOBEIRAS É FINALISTA NO PRÊMIO “PREFEITO EMPREENDEDOR”
PDF Imprimir E-mail

 

 

O Prêmio Prefeito Empreendedor, foi instituído pelo Sebrae com o objetivo de reconhecer a capacidade administrativa dos gestores públicos que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento de pequenos negócios e à modernização da gestão pública.

O objetivo geral vai além de agraciar os prefeitos e suas equipes. Trata-se de uma ação que estimula as gestões municipais, pois é uma oportunidade de demonstrar ações governamentais de visão empreendedora que, por sua vez, ajudam o crescimento econômico e social de forma segura e estruturada.

São destacados gestores que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento de pequenos negócios e à modernização da gestão pública, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento econômico e social do município.

O prefeito de Taiobeiras, Danilo Mendes, foi um dos selecionados para concorrer ao IX Prêmio Prefeito Empreendedor, na categoria  Melhor Projeto e está entre as 3 finalistas para concorrer ao prêmio no dia 27 de abril, em Belo Horizonte.

O projeto inscrito foi o de Incentivo à Cadeia de Lingerie, um projeto criado com o objetivo de incentivar a Cadeia Produtiva da Lingerie, buscando a melhoria da qualidade e o aumento da produtividade, ações importantes para a geração de emprego e renda para Taiobeiras.

Uma equipe do SEBRAE realizou visitas técnicas ao município com o objetivo de conhecer de perto todas as experiências e ações exitosas do projeto.

Para Danilo Mendes “a indicação ao prêmio e a colocação de Taiobeiras entre os finalistas representa um grande avanço para o município. Ser indicado pela segunda vez consecutiva ao prêmio mostra o resultado das políticas públicas e ações de apoio às micro e pequenas empresas executados pela administração municipal.”


A LINGERIE TIPO EXPORTAÇÃO DO NORTE DE MINAS

Taiobeiras é uma cidade do Norte de Minas, a 700 quilômetros de Belo Horizonte, e tem uma população de 30 mil pessoas ávidas por crescer. Historicamente, a economia local sempre girou em torno da agropecuária, mas, de tempos pra cá, o bichinho do empreendedorismo “infectou” os moradores e novos cenários surgem no horizonte.

Com o auxílio precioso da Prefeitura e do Sebrae Minas, a cidade conta com um grupo organizado de artesãos que já exportam peças em cerâmica para outros estados e, agora, o foco recai sobre produtos de lingerie. Um levantamento feito em 15 fábricas locais de lingerie inseridas no projeto Sebrae/Prefeitura mostraram que, no período 2013/14, elas produziram 40,5 mil peças, faturaram cerca de R$256 mil e abrigaram 71 empregos diretos. A produção escoou para mais de 50 localidades de Minas, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Mato Grosso.

“Tudo começou quando, em 2013, o primeiro AD (Agente de Desenvolvimento) nomeado para o município nos procurou, relatando que em Taiobeiras havia um grande número de mulheres que trabalhavam com confecção de lingerie”, explica o analista técnico do Sebrae Minas, Filomeno Bida de Oliveira Junior. AD é o profissional que, capacitado pelo Sebrae, atua como elo entre a instituição, a gestão municipal e os empreendedores. O AD em questão é o Evando Nascimento que, a pedido do analista Bida, elaborou um “diagnóstico” do setor. Para surpresa geral, descobriu-se que passava de 80 o número de pequenas fábricas na cidade. Ao Evando juntou-se outro AD, Kennedy Corrêa, funcionário da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. “Os dois, cedidos pela Prefeitura, estão envolvidos no projeto desde o início e o auxílio deles é inestimável”, atesta Bida.

Equipe formada, Prefeitura e Sebrae arregaçaram as mangas e foram à luta. A Prefeitura, além de disponibilizar os dois ADs, doou terreno para a construção da sede, cedeu local para a sede provisória e investiu R$60 mil na aquisição de um plotter. O equipamento, utilizado para a retirada de moldes, gera economia para as fábricas já que restringe ao mínimo os desperdícios de tecido. Por sua vez, o Sebrae iniciou os processos de formalização das empresas e de constituição da Associação Moda Íntima e Praia de Taiobeiras (Amip). A Associação, composta por 23 empresas formais, é totalmente regularizada, com estatuto, registros, CNPJ e diretoria eleita.

Ao longo de 2013/14 o Sebrae ministrou cursos e oficinas para o grupo – as oficinas “SEI Controlar Meu Dinheiro” e “SEI Unir Forças para Melhorar” e o curso “Como Elaborar o Preço de Venda”. Duas missões técnicas a dois conhecidos polos mineiros de confecção de lingerie foram também fundamentais – às cidades de São João do Manteninha (Vale do Mucuri), em 2013, e a Juruaia (Região Sul), no ano passado. Além disso, foi contratada uma consultoria especializada para elaboração de estudo do mercado. “Esta consultoria mostrou, com maior profundidade, as potencialidades do negócio na região, as tendências de futuro e traçou estratégias para uma maior competitividade das empresas”, informa Bida.

Em 2015, a novidade foi o projeto Confecções de lingerie em Taiobeiras e região, com investimento de R$100 mil na Associação. O analista do Sebrae explica: “As ações são voltadas para a instituição de uma governança para a Amip, consultoria nas fábricas com vistas a melhoramentos de leiautes, processos de produção e design. A ideia é desenvolver e aperfeiçoar cada vez mais as peças”. Bida está confiante no sucesso das ações em favor dos empreendedores da cidade: “Vamos nos aprimorando e crescendo, passo a passo. Acredito que, em alguns anos, os fabricantes de lingerie de Taiobeiras estarão se equiparando à qualidade e notoriedade dos outros polos já estabelecidos em Minas”.

Os empreendedores

  • Creuza Gonçalves da Silva, 39 anos, é dona da Luíza Lingerie e exporta sua produção para além das fronteiras de Minas. Há pouco mais de um ano ela detectou que sua hora havia chegado quando buscou conhecimento e capacitação profissional no Projeto de Incentivo da Cadeia Produtiva de Lingerie, elaborado conjuntamente pela Prefeitura de Taiobeiras e o Sebrae Minas/Regional Norte. “O Projeto mudou a minha vida. Consegui enxergar de forma muito mais profissional a minha atividade e ampliei meu olhar sobre o mercado”, diz.

Ao ser criada, há dois anos, a empresa contava com três colaboradores e hoje soma nove. Entre outros benefícios conquistados, além da própria formalização, Creuza destaca as visitações a outros polos de lingerie no estado: “Visitar São João do Manteninha e Juruaia permitiu que conhecêssemos novas tecnologias, o que ajudou muito no crescimento da empresa”.

  • A risonha Zilma Lopes da Silveira, 44 anos, é a presidente da Amip. A sua empresa, a Roma Lingerie, conta com cinco empregados que, com a ajuda do marido (“meu parceirão”), fabricam seis mil peças por mês (conjuntos de soutien e calcinha). A presidente esbanja otimismo, mas já passou por “poucas e boas”. “A vida inteira trabalhei com costura, que aprendi com minha mãe e até trabalhei em fábrica. Depois que me casei fui morar na roça e o bicho pegou. A coisa ficou difícil e então voltei pra cidade. Fiz magistério mas descobri que dar aula não era minha praia. Voltei então a costurar, fiz curso de lingerie em Montes Claros, comprei máquinas à prestação, comecei a produzir e a vender as peças de porta em porta”.

Em 2013, Zilma viu a situação melhorar quando entrou (“de corpo e alma”) no projeto que a Prefeitura e o Sebrae desenvolveram. Abriu a empresa, devidamente formalizada, e passou a comprar matéria-prima direto das fábricas, sem atravessadores. Ela agradece o apoio recebido da prefeitura (citando a importância do plotter para todos os associados) e aos cursos que frequentou no Sebrae. “Os cursos e as visitas que o Sebrae nos proporcionou abriram nossas cabeças. Hoje sabemos o quanto fabricamos, o quanto vendemos e faturamos e podemos projetar nosso futuro com tranquilidade”.

  • A empresa Pura Sedução produz cerca de 2,5 mil peças por mês (conjuntos, cuecas, camisolas, baby-dolls) e tem cinco empregados, que trabalham na fábrica próxima à casa da proprietária, Valnéia Correa da Cruz, 37 anos, casada, três filhos. Depois de trabalhar como cozinheira em restaurantes, Valnéia resolveu, em 2004, mexer com lingerie. Produzia as peças e passava para as sacoleiras. Depois montou a fábrica e abriu duas lojas, onde vende matéria prima e lingeries. Associou-se à Amip na primeira hora e participou de cursos, feiras e missões organizadas pelo Sebrae. “Aprendi muita coisa boa nestes eventos que vou aplicando no meu trabalho. Até melhorei as instalações da fábrica”.

 

  • Sudário Eugênio de Castro, 50 anos, é dono da maior fabrica de lingerie de Taiobeiras, a Fluorescente, especializada em baby-dolls. São 14 empregados e produção de oito mil peças por mês. A história do empreendedor é curiosa: ele é natural de Lagoa da Prata, no Centro-Oeste mineiro, distante 450 quilômetros de Taiobeiras. Mudou-se para o Norte mineiro e montou uma loja para “rifeiros”. Rifeiro é como são conhecidos, naquela região, os vendedores ambulantes. Sudário vendia colchas, toalhas, panelas e muitos outros itens.


Em 2012, montou a fábrica de lingerie, percebendo que ali estava um filão a explorar. Tempos depois procurou o Sebrae (vide Filomeno Bida) e alavancou o negócio. Participou das feiras e missões e modernizou a fábrica. “Tudo que aprendo no Sebrae, eu aplico no meu negócio. Vale a pena. Em cada palestra, por exemplo, há sempre algo novo para nos ajudar”, diz. O empreendedor fabrica kits de peças, que vende por atacado. Hoje, ele atua no circuito Taiobeiras – Centro-Oeste. “Cerca de 90% da minha produção eu vendo em Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e Montes Claros e os lojistas revendem para todo o Brasil”.

Por: William Monteiro
http://www.mg.agenciasebrae.com.br


 

Pesquisa

 

Central de Atendimento

Praça da Matriz, 145, Centro
TEL (38) 3845-1414
Copyright 2013 Prefeitura de Taiobeiras